O coco

Tem plantas que parecem bendicões, são tantos os usos e os benefícios que parecem solucionar tudas as necessidades do homem. Um exemplo é o cáñamo; a cana (talvez se não tivera levado tanto dor aos lugares onde proliferou), outro é o coco.

E visto coisas das mais diversas feitas com alguma parte do coco. Colheres de diferentes tamanhos, instrumentos, tejido, chapéus, cestas com as raízes, copos. Além de que dá água para beber e carne para comer, você pode fazer óleo, leite, coco ralado. Sem falar das coisas feitas com a madeira do coqueiro que é como tuda madeira, dá para bancos, vigas, teto, paus.

E é um árvore que tem características muito interessantes, na sua resistência aos ventos, sua flexibilidade. Sua raiz se compõe de muitas pequenas ramificações que se unem ao chão, fazendo que seja bem firme. O fruto, o coco, começa bem bem pequeno e vá crescendo mudando de um cor verde ao amarelo (Ou bem amarelo forte a um amarelo fraco, em outra espécie). Dentro a transformação também é interessante. Começa a encher de água, logo a fibra vai ficando mais compacta e formando a cobertura marrom que é bem conhecida. Em essa transformação a água vai virando carne e ficando mais seca. Também está o fato de que o coco alem de fruto e a semente, uma dupla função.

Eu vou avançando no caminho e vou achando mais e mais coisas feitas com este fruto. Achava ruim não dedicar umas palavras a um coisa tão boa que achei. Se encontram um coqueiro procurem tirar um coco dele é aproveitar tudos seus benefícios.

Captura

Na vida tem que fazer de tudo

É uma frase que escute a meus pais e avós dizer muitas vezes. A gente nunca sabe qual será o cor dos dias, ficar preparado para fazer qualquer coisa é a boa atitude. Nestos días no Lençóis estive curtiendo essa postura.

Viajar é siempre a coisa boa. Coloca a gente na posições fora de conforto, a manera máis maravilhosa de aprender, talvez a única. Era uma da minhas intenções aproveitar tudas as oportunidades que o viagem me apresente para aprender coisas novas. Nestos días tive a oportunidade de fazer de pedrero, recepcionista, trabalhar con madera, ferragem, jardinegem. Muitas das ferramentas que usei não tinha usadas nunca antes. Adorei destas novas coisas.

Por exemplo, gostei de ficar em contato com os hospedes da pousada. É uma atividade muito exigente desde o ponto de vista emocional. Não se pode ficar de mau humor, a gente está de ferias, só quer boa energía. Uma ideia bem simples mais que apreendi estando lá. Si se generaliza isso, é importante essa percepção do jeito do cliente e suas necesidades. Uma coisa fundamental para que o negócio role. 

Outra situação foi trabalhar de pedrero. Não tudo está feito, não tudo é obrigatorio. Pra ter o temos muitas coisas tiveron que acontecer. É uma ideia que tem muito tempo na minha cabeça. Viajar sempre acentúa ela. O que tenho, em pocas ocações é por meu esforço, muitas variaveis que não controlei foram as que hoje faiz que eu fique aquí. Adoro lembrar disso, quem sou, onde estou e qu me traz até aqui. 

São só dos exemplos, mais acho que ajudam a comunicar à ideia, meu sentimento quando viajo, experimento, encontro novas experiências. Desejaria que tudo o mundo, a sua manera, pudera passar através destas situações, crescer. 

 

Pegar carona

A coisa bonita de viajar é conhecer gente. Também é bonito conhecer paisagens e palavras, mais eu acho que o mais legal é a gente uno encontra no cominho. 

Issa é a principal razão pela que uso Couchsurfing, hostels e carona. A coisa comum entre eles é as possibilidades de passar um tempo con gente local. Hoje vou a escrever sobre a carona. Também chamada: 

  • Hitchhiking
  • Auto stop
  • Hacer dedo

A manera velha de moverse, basada na generosidade da gente. Neste tempo tentando pegar carona olhe muito auto com uma única pessoa. Achei a imagem triste, mais a representação de certos valores que hoje nos são vendidos, a ideia de individualismo e a comodidade no conhecido. 

Carregar a alguém no caminho é sobrepassar os medos da desconhecido, encontrar uma companhia não esperada, ser surpreendido por uma história distinta. E pegar carona também, sair a rota sem certeza da que vai passar e uma sensação estranhamente boa. Improvisar no momento é estar livrado a sorte do caminho. 

Tanto para o motorista como para o caroneiro as situações podem ser boas o ser a tarde incômoda. Não sempre há uma compatibilidade de visões, pode passar que não é um bom dia para alguno dos dois. Mais isso pode passar também em todos os âmbitos da visa. Sozinho no carro também pode ser um viagem increivel o um viagem para não lembrar. 

E bom deixar se surpreender pela vida, pelo caminho. Tentar coisas novas. Falar com gente que tem uma idea diferente, que mora en el lugar e tem seu jeito conhecido. Disfrutemos 😊